Início » Indústria 4.0 » Indústria 4.0 e a Indústria de Alimentos

Indústria 4.0 e a Indústria de Alimentos

indústria 4.0 e a indústria de alimentos

Ao longo do texto vamos explanar o termo tão cobiçado pelas indústrias e relacionar então, essa tal Indústria 4.0 e a Indústria de Alimentos. E mais: provocar o leitor a levar a transformação para a sua empresa. Será que vamos conseguir?

Um resumo do caminho para a 4ª Revolução industrial

Até o presente momento, o setor industrial passou por três revoluções significativas; 

Primeira Revolução Industrial:

Foi no século XVIII que começou os conceitos de manufatura automatizada, em 1792 tivemos a primeira revolução industrial com a criação da máquina a vapor.

Segunda Revolução Industrial:

A brilhante invenção da lâmpada incandescente em 1879 pelo Thomas Alva Edison marcou a segunda revolução industrial. Com energia elétrica disponível foi realizada a substituição do vapor de água pela energia elétrica na produção industrial. Surge na segunda revolução o taylorismo: racionalização do trabalho e a produção em massa, que foi impulsionada pelo uso da eletricidade (TAYLOR, 1987). 

Terceira revolução industrial:

Após a segunda guerra mundial (1939-1945) tivemos novas tecnologias com o propósito de reduzir a participação humana no processo de produção, incluindo componentes eletrônicos nas máquinas, CLP’s (Controladores lógicos programáveis) e robôs. Nasce o sistema Toyota de produção, que consiste na “completa eliminação de todos os desperdícios”, desta maneira, os produtos são produzidos conforme a demanda de mercado. 

Quarta revolução industrial:

A quarta revolução industrial, que foi chamada de indústria 4.0; tem como foco o desenvolvimento de processos e produtos mais autônomos e eficientes, e ainda customizar a produção, logística e processos. Na Indústria 4.0 tudo se conecta e a internet industrial é fator determinante para toda a comunicação em tempo real funcionar.

Mais sobre a Indústria 4.0 

O assunto surgiu pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011, na Alemanha. Tratava-se de um projeto de estratégias elaborado pelo governo alemão com foco em soluções tecnológicas, e o objetivo era otimizar os processos industriais e potencializar os lucros das organizações. E apenas em abril de 2013, na Feira de Hannover, que o grupo do governo alemão apresentou o trabalho final sobre a Indústria 4.0.

No livro Industry 4.0: Opportunities and challenges of the industrial internet. Stratety and Company é relatado que

“O objetivo da Indústria 4.0 é criar um sistema produtivo mais inteligente, e ampliar a capacidade de resolução de problemas sem a necessidade de interferência humana. No entanto, para que isso aconteça, é mandatório haver uma constante troca de informações entre todas as etapas da cadeia produtiva”. 

Com a 4ª revolução industrial as decisões de quando ligar, desligar ou de quando acelerar ou reduzir a produção, no ambiente da manufatura, passam a ser automatizadas e realizadas por máquinas. 

O produto na ponta vai mudar, sempre haverá novas alternativas, softwares, ferramentas que melhor atenderão o cenário. Mas os princípios da Indústria 4.0 permanecem os mesmos. Vamos conhecer?

Princípios da Indústria 4.0

Capacidade de operação em tempo real:

Coletar as informações e acionar os responsáveis para a operação em tempo real possibilitam tomadas de decisão assertivas e no momento certo. 

Virtualização: 

Ter uma cópia virtual das fábricas, possível com a presença de sensores distribuídos na planta torna possível controlar e rastrear remotamente todos os processos.

Descentralização: 

As máquinas inteligentes e com autonomia realizam ajustes sem a intervenção humana. Atividades como acelerar a produção, reduzi-la, ou até mesmo, encerrarem seu funcionamento são feitas sem a intervenção humana, por isso denominada de descentralização.

Orientação a serviços: É o desenvolvimento de softwares customizados direcionados aos serviços da indústria 4.0, proporcionando uma maior flexibilidade e melhor usabilidade quando as soluções são integradas. 

Modularidade: A modularidade flexibiliza o processo de produção, podendo acoplar e desacoplar os módulos produtivos entre si. Ela permite ações rápidas para atender a demanda dos clientes em menor custo e tempo.

Interoperabilidade: É a comunicação e troca de informações entre sistemas ciberfísicos, operadores humanos e fábricas inteligentes. 

Fator Customização na Indústria 4.0 e a Indústria de Alimentos 

Entendendo que a Indústria 4.0 busca pelo desenvolvimento de processos e produtos mais autônomos e eficientes e CUSTOMIZAÇÃO, vamos para a parte de entender como podemos transformar a Indústria de alimentos em uma Indústria 4.0

Para começar, a palavra transformação já nos remete a mudança e começamos pela mudança de comportamento. Comportamento? Sim, nenhuma mudança é possível se não tiver pessoas dispostas a se adaptar e evoluir. 

Dizer que vai demorar pra Indústria 4.0 chegar ao Brasil, que não tem tempo para pensar nisso, que o custo é muito alto, só vai te deixar no mesmo lugar que está hoje. E lembre-se o mercado continua em movimento e buscando por transformação, ou seja sua empresa (e você) ficarão para trás.

Comece a mudança estudando, conhecendo e trazendo para perto de si, pessoas que querem avançar em suas carreiras. 

Dito isso, já comentamos sobre o case da Dolce Gusto que vende a caixa de cápsulas personalizada conforme o gosto de cada cliente. (Alguém ainda acha que a Indústria 4.0 vai demorar para engrenar?)

A ideia é produzir bens personalizados em escala, como se fosse uma produção em massa. E a indústria 4.0 permite que tenhamos esses bens personalizados com eficiência de recursos, com maior produtividade gerando maior competitividade

Se ainda não faz sentido a personalização na sua empresa, a indústria 4.0 na indústria de alimentos pode ser implantada aos poucos e de outras formas, como garantindo a qualidade de 100% dos alimentos e reduzindo os desperdícios (que é uma das tendências para 2030).

Por onde começar?

Qualquer tamanho de indústria pode usufruir dos benefícios dessa transformação (e aqui eliminamos a desculpa a Indústria 4.0 só se aplica a grandes empresas). Para iniciar o processo de industrialização 4.0 basta saber em que patamar você está, e contar com quem sabe para auxiliar em seu projeto.

Uma boa alternativa é começar pela área que precisa de melhoria, sempre tem aquele “calo”, aquele processo que gera muito desperdício. Comece melhorando esse processo dentro dos conceitos de indústria 4.0. Já adianto que investir em Indústria 4.0 terá como resultado redução do consumo de energia, redução de gastos com manutenção, além de poder produzir bens personalizados, ou no mínimo mais competitivos.

Uma das tecnologias mais utilizadas para começar essa transformação em indústria 4.0 na indústria de alimentos é o IoT. Sensores de internet das coisas tem o poder da informação.

Com um simples IoT você tem informações assertivas, em tempo real, nas quais serão baseadas suas decisões de melhoria. Sem informação, como é possível saber o resultado das suas ações ou como saber qual ação será mais assertiva?

Ter tecnologia a nível de Indústria 4.0 na indústria de alimentos pode representar também máquinas se comunicando e desenvolvendo algoritmos de aprendizagem, evoluindo espontaneamente, a chamada Leaning Machine

Quem entende os conceitos da Indústria 4.0 vai atualizar seus processos  e sua empresa para esse novo patamar. É um caminho sem volta, é real, e está acontecendo agora. Nós podemos ajudar sua indústria nessa trajetória, fale conosco.

Pesquisar por...

Últimas publicações

Compartilhe

Somos integradores de soluções em tecnologia e processos focado em viabilizar transformação digital à sua empresa. Oferecemos soluções com foco real na necessidade dos nossos clientes, com entrega de ponta a ponta aliando redução de custos e aumento da produtividade.

Leia também

Menu
Fale conosco!
Oi, tá com alguma dúvida específica do seu negócio? Se quiser conversar com a gente estamos por aqui, sem compromisso :)
ComercialWhatsApp